Justiça determina afastamento de coveiro acusado de corrupção e de xingar os falecidos


A Justiça determinou na quarta-feira (22) que um coveiro do Cemitério Municipal de Terra Roxa seja afastado provisoriamente da função.


Segundo o Ministério Público, ele e o filho são acusados de crimes de corrupção passiva e vilipêndio de cadáver. Os dois também foram proibidos de se aproximar do cemitério e de algumas pessoas (vítimas de pedidos de vantagens indevidas e funcionários de uma funerária que presta serviços ao Cemitério Municipal).


Conforme a denúncia, pai e filho teriam solicitado, para pelo menos duas pessoas, pagamento extra para realizar serviços que o coveiro deveria fazer como parte de sua função (exumação de cadáveres). Além disso, teriam, em diferentes ocasiões, vilipendiado cadáveres durante o sepultamento, tratando-os com desdém e desrespeito e proferindo palavras de desprezo aos falecidos.


Na denúncia, o filho do coveiro, mesmo não sendo funcionário público, prestava serviços no cemitério com o pai, cobrando os serviços da população, tanto diretamente quanto por meio do pai, que se aproveitava assim do cargo público, por estar sempre em contato com as pessoas que o procuravam para realizar os serviços que ele prestava nessa condição.


Assim, os denunciados teriam se aproveitado da situação para obtenção de vantagens indevidas.


Fonte: PP News