Dezenas de estudantes sofrem queimaduras durante trote em Palotina


De acordo com dois calouros que participaram do trote, eles estavam nos semáforos no Centro da cidade e quando foram levados para um terreno perto da Universidade, e foi lá que tudo aconteceu.


As marcar pelo corpo de Gabriel Holtz mostram que a "brincadeira" foi além. "Foi bem horrível, eles mandaram a gente se ajoelhar no chão, jogaram água gelada, leite azedo e a creolina".


O estudante contou que todos questionaram sobre o que eram aqueles líquidos, logo depois o líquido na pele começou a arder, uma outra estudante desmaiou e na sequência todos foram encaminhados para atendimento hospitalar.


Isadora Pereira contou que os veteranos explicaram que os produtos não causariam ferimentos e foi justamente por isso que todos aceitaram o trote.


Na manhã de hoje, alunos registraram Boletim de Ocorrência e o crime deve ser investigado.


A direção da UFPR ainda não se pronunciou sobre o ocorrido. Contudo, de acordo com o regulamento do Coun (Conselho Universitário), a aplicação dos chamados trotes é proibida e os infratores devem ser submetidos às normas disciplinares do Regimento Geral da UFPR.


O conselho ressalta ainda que os calouros não são obrigados a participarem de qualquer tipo de atividade realizadas pelos veteranos. Em caso de ameaça ou constrangimento, denúncias podem ser feitas, de forma anônima, à coordenação dos cursos, à ouvidoria ou ao Programa de Repressão à Violência e à Discriminação da UFPR.


Fonte e Foto: catve

Ative novo.png
Portal 163.jpg
Confira nossas OFERTAS
Ative novo.png