Um povo destruído e humilhado


Declaro, a que interessar possa, que há no território brasileiro um povo dizimado na sua honra, na sua história e na sua esperança.


Aliás, quando um povo não pode exaltar a sua história, perde a sua identidade. Quando a sua esperança é ridicularizada, dia e noite, perde o próprio desejo de viver.


Sim. Os pequenos agricultores do sudoeste e do oeste do Paraná, homens, mulheres e jovens, descendentes de pioneiros e colonizadores, que desbravaram e consolidaram o nosso território, agora são tidos como: contrabandistas, caçadores, traficantes, interesseiros, gananciosos e abusadores da floresta. Enfim, criminosos de toda ordem e perigosos.


A esse povo sofrido, por enquanto, peço que não esqueçam a esperança do salmista:

“Ó Senhor Deus, tu és bom e amoroso;

Responde-me e vem me ajudar,

Pois é grande a tua compaixão.

Não te escondas do teu servo;

Responda-me agora, pois estou muito aflito.

Vem e salva-me;